HABIBureau

Avaré County
Human-Animal Bond Incentive Bureau

Animais são anjos gatinho
No rodapé desta página, você encontrará diversas matérias para reprodução em jornais e sites!

A ideia é que a cidade de Avaré sirva como pedra fundamental, sendo esta região o laboratório e a incubadora do projeto, que tende a ser mundial.

Esta proposta destina-se a servir como fonte de inspiração para a criação de uma ampla e permanente campanha de adoção e de posse responsável de cães e gatos – atualmente em situação de rua – com infinito potencial de melhoria da qualidade de vida de humanos e animais, basta ser trabalhado de maneira a se transformar em projetos de lei e profundas mudanças sociais.

O alcance destas medidas só tem paralelo na Lei Áurea, que resgatou a cidadania e os direitos de pessoas que, até então, eram tratadas como mercadorias, sendo exploradas comercialmente da mesma maneira míope com que se exploram os animais em pleno Século XXI. Para os cidadãos inconformados com todas as formas de injustiça, esta é a semente de uma nova mentalidade, que pode ser o alicerce de um novo patamar de evolução moral e social.

A semelhança com um CONVENTION & VISITORS BUREAU é proposital. Quando se pensa em realizar um megaevento – Olimpíadas, por exemplo – buscam-se as autoridades locais e o empresariado diretamente interessado em lucrar com o evento. A sociedade civil como um todo deseja e necessita tomar ciência e parte no evento, para que ele surta efeito positivo durante sua realização e para que deixe um legado em obras públicas e conscientização da população em relação à hospitalidade para com os turistas.

Por que é necessário um C&VB?

Simples! Não se trata de estabelecer parcerias com os ATUAIS mandatários do poder local – prefeito, governador etc. O evento acontecerá ANOS APÓS o término de seus mandatos. O compromisso deve ser firmado com a SOCIEDADE e precisa ser honrado até seu final. Além do mais, esse pacto social envolve diversas áreas e o Bureau serve como catalisador, como ponto de convergência e de debate entre visões diferentes e talvez até conflitantes.

Uma grande campanha estadual ou nacional de adoção de animais abandonados é de interesse coletivo, extrapola e congrega interesses de diversas Secretarias Estaduais ou Ministérios. No presente momento, uma vez tomada a decisão de se iniciar a campanha, de imediato, surgem estas sugestões:

EDUCAÇÃO

– Inclusão no currículo escolar de projetos incentivando alunos de todos os níveis a manterem contato – na escola e em casa – com animais de estimação, ressaltando-se que esse vínculo só traz benefícios a ambos, obviamente observando-se regras mínimas de higiene e de respeito aos animais;

– Nas escolas, deve-se tornar habitual a presença de mascotes, notadamente de gatos, que, além de seu papel de socialização com os alunos, ainda livra dos ratos os depósitos de merenda, sem o uso de raticidas químicos;

– Sabiamente, a Natureza fez com que humanos, cães e gatos fossem MAMÍFEROS, ou seja, todo o processo reprodutivo dos animais pode ser usado didaticamente para o ensino de EDUCAÇÃO SEXUAL, sem dogmas e sem que a gravidez na adolescência seja inevitável.

SAÚDE

– Incentivo às terapias que preconizam o contato com animais, visto que estimulam diversos canais cognitivos e são decisivos na evolução positiva de casos de paralisia cerebral, autismo, depressão e diversas patologias emocionais. Não é preciso ser Médico para reconhecer os benefícios que o contato com a Natureza traz à saúde;

– Parcerias entre ONGs, CCZs – Centros de Controle de Zoonoses – e entidades médico-psiquiátricas, para que os animais acolhidos visitem e sejam adotados por idosos e pacientes com quadros depressivos. Adotar um animal deve ser PRESCRITO COMO TRATAMENTO ALTERNATIVO PARA PACIENTES EM DEPRESSÃO. A base científica para esta prescrição é a MULTITERAPIA, iniciativa pioneira da Cientista brasileira Anna Lou de Olivier, reconhecida internacionalmente (https://empoderadadobrasil.com).

SEGURANÇA PÚBLICA

– Na medida do possível – levando-se em conta a superlotação do sistema carcerário – introduzir mascotes nos presídios, oferecendo aos detentos de melhor comportamento a faculdade de cuidar desses animais, como fator de sensibilização e de recuperação. Cuidar de um mascote será um PRÊMIO por bom comportamento;

– Ministrar cursos de banho e tosa aos detentos e oferecer a oportunidade de cumprimento de pena alternativa servindo como voluntários em ONGs e trabalhando em Pet Shops.

No caso específico dos detentos humanos, existirá uma empatia entre os encarcerados e os animais confinados em instituições à beira do limite de lotação. Essa sintonia fará a diferença! (Um caderno especial foi dedicado a esta área, com maiores detalhes).

FAZENDA

– Desonerando-se os sistemas de saúde e penitenciário, sobram recursos para investimentos em políticas públicas ou apoio a causas sociais;

– A adoção de milhões de animais abandonados, gerará arrecadação de impostos, outro benefício da ação.

 TRABALHO

– Não existe uma estatística precisa, mas estima-se que existam trinta milhões de cães e gatos de rua no Brasil. Mundialmente, estima-se que exista um animal de rua para cada doze Seres Humanos, ou seja, com uma política adequada, haverá filas de pessoas querendo adotar um bichinho de estimação e cada adotado gerará empregos, renda e paz social.

É um círculo virtuoso, que precisa apenas ser iniciado, para que se retroalimente. Cada adoção dará origem a histórias positivas, que incentivarão outras adoções. Será que isso fará com que se acabem os animais abandonados ou maltratados? É possível, mas, mesmo que passe longe disso, qualquer redução no grau de maldade humana será digno de comemoração. Se conseguirmos evitar que apenas um por cento dos prospectivos criminosos violentos se desvie da criminalidade e compre RAÇÃO, em vez de MUNIÇÃO, já será uma vitória e teremos cerca de dez mil detentos a menos. A política de desarmamento que se baseou na eliminação de armas de fogo de pequeno calibre foi fracassada, pois as pessoas não desarmaram seus espíritos, continuaram matando por outros meios e a realidade é que convivemos com armas de guerra em meio urbano. Um olhar ou uma ausência podem ser tão letais quanto fuzis. O olhar e a presença de um ANJO em forma de cão ou gato podem, igualmente, abrandar os pensamentos e prolongar a vida humana com qualidade.

Matérias para divulgação em jornais e sites:

1) Ajudando uma ONG

2) Eu quero ser voluntário

3) Eu preciso de voluntários

4) Onde, como e quando ajudar

5) Suprindo uma necessidade

6) Olha o passarinho

7) Para quem você torce

1 - VisitAvare Logo

 

Anúncios